Saúde

VOCÊ SABIA? Agosto Dourado destaca Brasília como única cidade do planeta autossuficiente em leite humano

Primeira dama do DF pede ao governador abertura de salas de amamentação para todas as servidoras

Foto: Mariana Raphael
Vistos
Com apenas 14 dias de nascido, o bebê Mateus precisou emprestar a mãe para uma solenidade importante. Mayara Noronha teve de colocar salto alto para acompanhar a posse do marido, Ibaneis Rocha, no cargo de governador do Distrito Federal. Sete meses após o nascimento do primogênito, durante a abertura do Agosto Dourado, ocorrida neste domingo (4) no Parque da Cidade, a primeira dama do DF solicitou ao governador que determine a destinação de uma sala com esta finalidade para atender às servidoras em aleitamento em todos ops órgãos do GDF. No encerramento da solenidade, um mamaço reuniu as mães que estavam no estacionamento 12.

Foto Mariana Raphael

O Distrito Federal é referência em todo o mundo, quando se trata de amamentação. Por isso mesmo, Mayara Noronha exortou os pais a participarem cada vez mais desta fase da vida do bebê e da mãe. No mês de agosto, dedicado ao incentivo à amamentação, e durante esta Semana Mundial de Aleitamento Materno, que vai até 7 de agoto, a coordenadora das Políticas de Aleitamento Materno e do Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde do DF, Miriam Santos, lembrou: “Brasília é a única cidade do planeta autossuficiente em leite humano”.
E tem mais: “No Distrito Federal, 61% das crianças nascidas aqui são alimentadas exclusivamente com o leite materno pelo menos até os seis meses de vida, sendo este o maior percentual do Brasil”, destacou a secretária adjunta de Assistência da Secretaria de Saúde, Renata Rainha, 29 anos, ainda sem filhos, mas que não esconde o desejo de ter vários.
IMPORTÂNCIA – Representando o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, Renata Rainha enfatizou: “O Agosto Dourado é importante para conscientizar a todos de que o leite materno é alimento suficiente para a criança até os seis meses de vida, sem necessidade de complementação, sendo fundamental até os dois anos de idade da criança”.
Organizadora da atividade, realizada no estacionamento 12 do Parque da Cidade, Miriam Santos, que carregava um coelho azul como parte da sua fantasia de “Mônica”, fez questão de destacar: “Ser mãe não é padecer no paraíso”. Segundo ela, se a mulher que amamenta está sentindo dor, “isso está errado e ela deve procura ajuda em nossos serviços de saúde”.
Presente à atividade, na manhã deste domingo , o subsecretário de Atenção Integral à Saúde (Sais), Ricardo Ramos, contou que “vários estudos importantes destacam a relevância da amamentação para o bebê e para a mãe. A Semana Mundial de Aleitamento Materno ressalta essa importância e o governo apoia esta iniciativa”.
Foto: Mariana Raphael

ALCANCE – Em meio a princesas, heroínas e outras personagens dos filmes, desenhos e histórias infantis, centenas de mães, pais e crianças de todas as idades circulavam pelo espaço, aproveitando as informações sobre as diversas áreas da saúde e da segurança. Indiferente ao que se passava no seu entorno, a pequena Helena, de cinco meses, colada ao corpo da mãe pelo baby sling, queria mesmo era aproveitar o leitinho do peito de Jamile Guerra, 34 anos.

Sempre apoiada pelo companheiro, Bruno Bueno, 40 anos, Jamile reforçou a necessidade de amamentar: “O leite da mãe oferece muitos nutrientes para o bebê e ainda há a troca de afeto. A gente se sente importante por gestar alguém e produzir o alimento do filho dentro do próprio de si”. E recordou como foi importante o apoio das profissionais do Banco de Leite do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) no começo, pois Helena não tinha forças para sugar o leite do peito. “Mas, hoje, tudo isso foi superado e ela está muito bem”, disse a mãe.
O colorido da fantasias das princesas e heroínas provocaram alegria na menina Beatriz, de 1,5 ano. Nos braços do pais, Elenilson de Jesus,, 30 anos, a garotinha segurava um cãozinho feito de bexiga. “Minha esposa, Raphaela, tem 29 anos e amamentou nossa filha por um ano. Hoje, ela é uma criança saudável e feliz”, assegurou.
DOADORAS – Mãe aos 19 anos, Thalya Silva de Araújo, trazia nos braços a filha Thayla, de 1,1 ano. Ele foi ao Parque da Cidade a convite do Banco de Leite do Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Ela estava acompanha de Laiane da Silva Alves, 28 anos, mãe do menino Gabriel, de 1,1 anos. As duas são doadoras de leite humano no banco do HRC. “Amamentar é importante não apenas para a saúde da crianças, mas reforça os laços e a integração entre a mãe e o filho”, disse Laiane.
Foto: Mariana Raphael
Além do governador Ibaneis Rocha, a abertura do Agosto Dourado contou com a presença de diversas autoridades e políticos da cidade. O evento teve o apoio do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Civil, da Secretaria de Políticas para a Mulher, Caesb, Detran, Vigilância em Saúde, Procuradoria da Mulher da Câmara Legislativa, da Gerência de Odontologia da Secretaria de Saúde, Casa de Parto de São Sebastião e de várias instituições particulares.
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com
WhatsApp #ZAPATIVA