EducaçãoSaúde

Uso inadequado de mochilas gera prejuízos à saúde

Pais devem ficar atentos ao peso, tamanho e estrutura da bolsa

Vistos

O excesso de peso nas mochilas escolares, bem como o uso de bolsa de tamanho inadequado, pode gerar desconforto e até lesões nos estudantes. Com a volta às aulas, os pais devem ficar atentos em relação a este acessório. O alerta é do fisioterapeuta José Aires de Araújo, Referência Técnica Distrital em Fisioterapia da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

“Existem alguns cuidados importantes. A primeira orientação é saber escolher uma boa mochila, que deve ser leve e acolchoada nas alças, para não comprimir os ombros e, na parte das costas, não gerar impacto de livros pontiagudos”, recomenda.

Segundo ele, é indispensável que os estudantes saibam utilizar a mochila. O ideal é empregar as duas alças para não sobrecarregar um dos ombros com o peso. Além disso, as alças precisam ser mais largas. É necessário ficar atento, ainda, à altura da mochila, que não deve ficar abaixo da região lombar (parte que suporta a maior carga) para não pressionar a pelve (bacia).

Outro cuidado fundamental guarda relação com o peso, que deve corresponder a até 10% do peso corporal de quem a carrega. Caso contrário, pode acarretar aumento da tensão muscular e compressão das estruturas ósseas, resultando em dor e desvios na coluna.

SOBRECARGA – “É importante que os pais ajudem a gerenciar a quantidade de material levado dentro da mochila. Não precisa levar tudo todos os dias, só o necessário”, ressalta José Aires.  Ao contrário do que muita gente pensa, a regra de levar pouco peso também vale para a mochila de rodinha, porque isso também leva a lesões na articulação do ombro.

“A musculatura da criança não suporta peso em excesso. O principal sinal da sobrecarga é a dor na região lombar e na cervical, que pode ser mais aguda ou, quando persistente, causar também queimação. É um sinal de sobrecarga da musculatura”, explica o fisioterapeuta.

Outra recomendação, para crianças abaixo de dois anos de idade – não levar mochila nas costas. O ideal é que o equipamento tenha rodinhas e que os pais ajudem a transportá-la no trajeto de ida e volta da escola.

Quanto ao tamanho, a bolsa não pode ultrapassar a largura e distância entre os dois ombros. Os estudantes também não devem abrir mão da prática de atividade física regular, o que favorece a manutenção da força e tônus muscular, reduzindo o risco de lesões.

SES-DF

Deixe uma resposta

WhatsApp #ZAPATIVA