Cidade

Samambaia terá desfile cívico contra o feminicídio na próxima sexta-feira (25)

Evento faz parte da programação de aniversário da cidade, que, este mês, completa 30 anos

Foto-Adriana-Ponce
Vistos

Samambaia está completando, neste mês, 30 anos. Entre as atrações programadas para o aniversário da cidade, está o desfile cívico contra o feminicídio, que será realizado na sexta-feira (25), com concentração às 8h, na QR 402.  O evento é organizado pelo Instituto Mulheres Feminicídio Não, em parceria com a administração regional local.

“Estamos trazendo essa caminhada para Samambaia, pois há muitos casos de agressores na região. Precisamos reeducá-los”, destacou a presidente do instituto, Lúcia Erineta. Ela própria foi vítima de violência doméstica e chegou a sofrer uma tentativa de assassinato que lhe causou uma deficiência física.

O grupo, que atua desde março, tem organizado ações constantes de conscientização para o problema. Até agora, já foram feitas caminhadas cívicas contra o feminicídio em Taguatinga, Planaltina e Guará. “Convido todos os homens e mulheres para esse momento”, diz Lúcia, para chamar o público a participar da caminhada de sexta-feira.

As ações do instituto compreendem palestras em parceria com a Secretaria da Mulher (SM), incentivo a denúncias de agressões e todas as formas de apoio a mulheres que estejam ameaçadas por situações de violência. As vítimas são acompanhadas até os fóruns, a Defensoria e o Ministério Público.

Sobre o Projeto

O Instituto “MULHERES FEMINICÍDIO NÃO”- Apoio a Mulher Empreendedora IMFN-AME Fundado por Lucia Erineta de Ceia vítima do atentado do feminicídio e por consequência das violências ficou com deficiência física, assim, teve a contra partida de ir a luta a favor das mulheres violentadas no DF.

Iniciou o movimento das caminhadas em Taguatinga no dia da Lei Maria da Penha dia 7 de agosto, contudo, já percorreu também na cidade de Planaltina e Guará,no propósito de conscientização contra o feminicídio aos agressores e resgatar as mulheres da prisão de violência doméstica e as empodera-las, e as encorajando a denunciar os agressores ligando no número disque 180 ou 197. Também tem feito acompanhamento das vitimas até a DEAM, defensoria pública, fóruns, ministério público e hospitais.
Essas caminhadas são feitas em cada cidade em foco ao feminicídio.

Hoje o número de feminicídio tem sido um alarme a sociedade onde só esse ano de 2019 podemos precisamente falar que já perdemos 27 vítimas, onde tivemos repercussão em alguns casos como o do agressor assassino Marinesio onde ceifou a vida da Advogada Letícia e da Geni.

*COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASÍLIA

 

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com
WhatsApp #ZAPATIVA