Cidade

PELA PRIMEIRA VEZ O CONSELHO DE CULTURA É DESCONSIDERADO EM SAMAMBAIA.

12 ANOS DE LUTA PELO COMPLEXO CULTURAL E O CONSELHO DE CULTURA É DESCONSIDERADO EM SAMAMBAIA

Vistos

Na ultima quinta feira 23/05, o CRC Samambaia e o movimento cultural teve uma reunião com o Deputado Jorge Vianna no Gabinete da Administração Regional de Samambaia. Na pauta, a nomeação de Danne Viana como Gerente do Complexo Cultural Samambaia, apesar de ser prerrogativa do Secretário de Cultura, esta foi indicação do Deputado, nomeação que é desaprovada pelo Conselho e pelo movimento cultural. Uma vez que entendemos a construção silenciosa e sorrateira de Danne Vianna (Danne Strauss) que sem nenhum diálogo nem comunicação com o Conselho ou movimento, e tendo acompanhado de perto o processo de eleição de lista tríplice,  se apossou de uma conquista do coletivo e desconsiderou o movimento que fazia parte e os candidatos que concorreram, não esperávamos isso do colega, há tempo para se redimir, pois este movimento se pautou ao longo de 12 anos em decisões coletivas. Num bom popular, Danne entrou literalmente pela janela.

Os Conselheiros, artistas e representantes da comunidade trouxeram ao conhecimento do Deputado Jorge Vianna todas as informações de como se deu a construção do Complexo Cultural, colocando a importância de que se reconheça a nossa história e o nosso papel na realização desse Equipamento Público. Buscamos lembrá-lo do processo ocorrido em 03 de fevereiro de 2019, eleição para Gerente do Complexo Cultural e Gerente de Cultura, onde compareceram cerca de 1.000 pessoas, sendo quase 800 votantes. Uma eleição única e histórica, que teve entre seus concorrentes, hoje Administrador da cidade, Willian Lima, mais votado de uma lista tríplice e que agora sem precisar mais, desqualifica o processo, entendemos aqui a política quando o mesmo outrora sempre apoiou o Conselho, há tempo de redimir também o que consideramos uma falha do colega, Willian Lima não pôde participar da reunião. Esta eleição que o próprio Deputado também compareceu e evidenciou o trabalho do Conselho e o interesse da comunidade em escolher seus representantes da cultura na cidade.

O Deputado relutou na reunião em dizer que a lista tríplice para o Complexo Cultural não tem base jurídica legal, como para Gerente de Cultura,  tese habilidosamente desconstrutiva que logo foi diversas vezes rebatida por nossa história, a própria existência do Complexo Cultural já diz tudo que precisa saber, que o movimento cultural coordenado pelo Conselho de Cultura convenceu o Estado a dar cada passo sofrido por várias gestões para construir esse Equipamento, do terreno que não existia ao  projeto que não existia, do recurso que não existia à Lei que nunca existiu. Vamos convencer o Deputado? Pois o que existiu de fato  foi a nossa vontade e dedicação de anos como agentes de cultura, como comunidade presente em cada um dos 117 Sarau Complexo por esta construção. O Complexo Cultural é a nossa casa. Tenha a única vontade que importa Deputado, a vontade política de apoiar um nome da lista que a comunidade da cidade escolheu!

Nossa esperança com a chegada do Deputado na cidade era que a cultura seria respeitada e valorizada como ele pregou nas oportunidades que ouvimos, mas sua primeira ação foi jogar para escanteio todo um trabalho longo e árduo. Sua justificativa é dizer que desconhecia tudo isso, de certo, não podemos condená-lo, por isso fomos ao seu encontro para esclarecer e colocar a parceria do movimento cultural nesta construção, para trabalhamos juntos e não divididos onde todos perdem. Ouvimos coisas boas, o Deputado também tem suas qualidades, como encaminhar um projeto de Lei que coloque nas mãos da comunidade cultural o direito de indicar seus representantes nos equipamentos de cultura, mas todos nós sabemos que não há nenhuma garantia disso acontecer nesta gestão, dado o momento em que vivemos onde a cultura no DF está sendo desconstruída com cortes de recursos e os movimentos e conselhos regionais legítimos estão sendo excluídos das discussões. Ficou à margem na reunião o entendimento que nada vai mudar, que talvez seja apenas uma proposta para ganhar tempo e nos fazer aceitar o que está posto, alguém numa posição que não nos representa como coletivo, apenas se representa individualmente. Pois não aceitaremos, os 800 eleitores não aceitarão, respeito aos candidatos. Ou nós temos um Deputado da cidade que nos reconheça de fato ou nós não reconheceremos o Deputado como representante da cidade. Será que isso importa?

Imaginamos a situação em que, se o candidato Willian Lima, indicado pelo Deputado posteriormente como Administrador, ainda estivesse concorrendo no processo, será que estaríamos discutindo esse reconhecimento? Será que o processo seria válido? Temos a certeza que seria até elogiado, fala-se da nova política com a participação do povo, mas só falam, falam, falam e a prática é a mesma. Enquanto isso desaprovamos a atual Gestão do Complexo Cultural, e esperamos pelo reconhecimento do Deputado Jorge Vianna e do Secretário de Cultural Adão Cândido, pois não falamos de política, falamos de trabalho e merecimento, queremos trabalhar juntos para aproveitar ao máximo a promoção da cultura na cidade através do Complexo Cultural. Agora que o Deputado está esclarecido e bem informado, com todo o nosso respeito, aguardamos seus passos e cobraremos dia-a-dia o seu compromisso com os grupos organizados da cidade que escolheu para “apadrinhar”.  Vamos andar juntos Deputado!

No momento o que nos sobra é olhar sempre para o Complexo Cultural cheio, com ações importantes acontecendo dentro do Teatro Verônica Moreno, saudosa, e mesmo felizes, ficar a pensar que a atual gestão não nos dê a importância devida, e nos coloque à margem como meros observadores depois da vida doada a este projeto. E lembramos que  todas as gestões anteriores souberam dar o reconhecimento e trazer o movimento cultural para construir suas decisões que atingem diretamente quem faz cultura na cidade. A exemplo de que mesmo SEM LEI, o Conselho sempre escolheu e indicou o Gerente de Cultura ao longo dos anos, e por reconhecimento foi convidado pela Secretaria de Cultura a indicar o primeiro Gerente do Complexo Cultural em 2018. Chama-se vontade política.

Finalizando este relato, temos que trazer ao conhecimento do leitor, que nesta mesma reunião foi tomado o conhecimento que nem o indicado da listra tríplice para Gerente Regional de Cultura foi nomeado, lista tríplice encaminhada pelo Conselho por força da LOC (lei Orgânica da Cultura), e que foi nomeado outro servidor. Este Conselho Regional de Cultura buscará junto ao Ministério Público o cumprimento efetivo da LOC. É um verdadeiro descaso em duas frentes. Ficaremos atentos, desânimo não faz parte da nossa luta.

CIDADÃO

Tá vendo aquele edifício moço?

Ajudei a levantar

Foi um tempo de aflição

Eram quatro condução

Duas pra ir, duas pra voltar

Hoje depois dele pronto

Olho pra cima e fico tonto

Mas me chega um cidadão

E me diz desconfiado, tu tá aí admirando

Ou tá querendo roubar?

Meu domingo tá perdido

Vou pra casa entristecido

Dá vontade de beber

E pra aumentar o meu tédio

Eu nem posso olhar pro prédio

Que eu ajudei a fazer

 

Conselho de Cultura de Samambaia

 

 

Deixe uma resposta

WhatsApp #ZAPATIVA