Saúde

Hospital Regional de Samambaia trata crianças vítimas de violência sexual

Medicamentos reduzem risco de contrair HIV e infecções sexualmente transmissíveis

Vistos

Crianças que sofreram violência sexual podem a contar com a profilaxia pós-exposição (PEP) oferecida no Hospital Regional de Samambaia (HRSam). O serviço consiste no tratamento com medicamentos antirretrovirais, que reduzem o risco de infecção por HIV/Aids, hepatites B e C, e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), além de evitar gestações não desejadas.

“A profilaxia é para crianças com até 12 anos de idade que sofreram alguma violência sexual aguda, ou seja, que acabaram de ser violentadas. Elas precisam tomar os medicamentos em até 72 horas, para evitar transmissões de infecções, HIV e gravidez”, explica a responsável pelo Núcleo de Prevenção e Assistência à Violência (Nupav) da Região de Saúde Centro-Sul, Aline Soares.

Na rede pública, também oferecem tratamento de profilaxia pós-exposição a crianças vítimas de violência sexual os hospitais regionais de Taguatinga (HRT), Guará (HRGu), Ceilândia (HRC), Asa Norte (Hran), Planaltina (HRPL), Sobradinho (HRS), Paranoá (Hospital da Região Leste) e o Materno Infantil de Brasília (Hmib).

ORIENTAÇÃO – A responsável pelo Nupav ressalta que o primeiro local que a vítima deve procurar, depois de sofrer uma violência sexual, é um hospital. Só depois disso deve ir a uma delegacia. “A orientação é que a pessoa, seja adulto ou criança, deve tomar as medicações necessárias o quanto antes, para fechar as portas a qualquer doença. Depois, ir à delegacia, que direciona ao IML”, informa.

De acordo com os dados parciais do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), da Secretaria de Saúde, em todo o Distrito Federal foram notificados, em 2018, um total de 728 casos de violência sexual contra crianças menores de 12 anos. Destes, 127 são moradores da Região de Saúde Centro-Sul, que engloba Guará, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, SIA, Park Way, Estrutural, Riacho Fundo I e II.

Os serviços prestados no PAV Orquídea de Samambaia incluem: acolhimento e atendimentos individuais e em grupo. O público-alvo são pessoas em situação de violência em qualquer ciclo de vida, bem como suas famílias. Os tipos de violências atendidas são a sexual, física, psicológica, doméstica, negligência e abandono.

Para mais informações sobre os trabalhos oferecidos pelos PAVs, confira a lista com todos eles, telefones e respectivos atendimentos.

HRSam -PROGRAMA ORQUÍDEA

Endereço: QS 614 conj. ‘C’ lotes 01 e 02 – Samambaia

pavorquideahrsam@gmail.com

3458-9891

Modalidade de atendimento:
– Acolhimento
– Atendimento individual e em grupo para crianças em situações de violência sexual, maus tratos e negligência,
– Grupo de pais (maus tratos e negligência),
– Atendimento individual e em grupo para mulheres.
– Atendimento pediátrico para crianças até 12 anos;
– Atendimentos ginecológicos para adolescentes a partir de 12 anos e  mulheres.
Público-alvo:
– Crianças, adolescentes, adultos (mulheres, homens e idosos)
Tipos de violência:
– Violência sexual, negligência, maus tratos, violência psicológica e doméstica
ACOLHIMENTO DE LIVRE DEMANDA EM HORÁRIO COMERCIAL

Késia Paos
o autorKésia Paos
Coordenadora de Jornalismo Local
Jornalista da rádio Ativa FM

Deixe uma resposta

WhatsApp #ZAPATIVA