Saúde

Hospital Regional de Samambaia celebra aniversário de 17 anos

Vistos

O sorriso de Carla Carmo, 24 anos, tinha uma razão toda especial. Ela levava nos braços a filha recém-nascida Ayla, que teve no Hospital Regional de Samambaia (HRSam). “É o segundo filho que tenho aqui e não tenho do que reclamar. Os profissionais são atenciosos e na Maternidade, são ótimos”, conta a paciente, que recebeu alta nesta terça-feira (24).

O dia, por sinal, foi de elogios aos profissionais de saúde do HRSam, durante a celebração dos 17 anos da unidade, em sessão solene promovida pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), presidida pelo deputado distrital Jorge Vianna (Podemos). O evento teve corte de bolo, servidores homenageados, além de o hospital ser lembrado como referência na rede pública em atendimentos de Obstetrícia e Cirurgia Geral.

“É um hospital com quase mil servidores e presta um belíssimo serviço a toda a população, sendo referência em partos de baixa e média complexidade, como também em cirurgia. Só neste ano, foram quase 3 mil partos, sendo 2 mil deles normais”, informou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, presente ao evento.

MANUTENÇÃO – Devido à importância da unidade, Okumoto destacou o trabalho para recompor a estrutura física do HRSam. Pelo contrato de manutenção predial de emergência, o hospital tem passado por revitalizações envolvendo pintura e troca da fachada, instalação de bancadas e revisão do sistema elétrico e hidráulico.

Ao todo, R$ 3,9 milhões estão previstos para as intervenções no HRSam, nas unidades básicas de saúde (UBS) e nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de Samambaia e Recanto das Emas.

“Estamos finalizando outro processo para disponibilizar um contrato de manutenção predial regular. O governador Ibaneis tem nos solicitado para dar o máximo de atenção às nossas estruturas físicas, que estavam abandonadas. Vimos que nossos colegas de trabalho estão agradecidos por ter condições de trabalho capazes de oferecer o melhor à população”, afirmou o secretário de Saúde.

REFORÇO – Ainda em relação à estrutura, Okumoto lembrou que os recursos de emendas parlamentares para a saúde não eram executadas, em gestões anteriores, por falta de projetos arquitetônicos. Ao usar como base um projeto já existente, como o do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), que é o mais novo na rede pública, foi possível aproveitar os recursos provenientes das emendas.

“Procuramos ter como base um projeto já existente. Temos, hoje, quatro hospitais anunciados, agora com todos os recursos disponíveis. São os de Ceilândia e Materno Infantil, também em Ceilândia, um no Guará e um oncológico, no qual tivemos uma equipe imensa resgatando RS 120 milhões de recursos praticamente perdidos, através do Ministério da Saúde, que retornaram aos cofres do DF para iniciar esse trabalho”, informou o secretário.

Além disso, devido ao déficit de leitos no DF, a Secretaria de Saúde tem trabalhado junto ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) para levantar dados necessários sobre a situação. O objetivo é propor ao governo federal uma política pública que melhore o atendimento às pessoas provenientes da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal (Ride-DF).

“Esse trabalho está muito adiantado e devemos fechar o documento para levar ao Ministério da Saúde e garantir o atendimento e minimizar o sofrimento das pessoas desta região que procuram o DF”, declarou o Okumoto.

 

o autorKésia Paos
Coordenadora de Jornalismo Local
Jornalista da rádio Ativa FM
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com
WhatsApp #ZAPATIVA