Cidade

MasterChef faz cozinheiro transexual ser aceito pela família de Samambaia-DF

Vistos

Talvez coincidência, talvez premonição. ‘De Volta Pra Casa’ foi o nome dado pelo mineiro Thales Alves a seu prato na prova de eliminação do nono episódio da atual temporada com profissionais da cozinha.

Dito e feito: o frango com angu, caviar de pequi e milho tostado cumpriu a obrigação de ser uma composição amarela, como exigia o tema monocromático, mas pecou em tempero e, como gostam de dizer os jurados, faltou o tal ‘punch’ de sabor.

Justamente a comida típica de domingo na casa de Thales o fez ser eliminado do ‘talent show’ da Band. Mas sua passagem pelo programa o tornou vitorioso em outros aspectos. Tornou-se o primeiro transexual a integrar a mais popular e bem-sucedida competição gastronômica da TV brasileira e, graças a esse desafio, conseguiu se reaproximar de sua mãe.

A matriarca dos Alves não aceitou bem a transição de gênero do filho. Ficaram quase dois anos sem se falar. Ao descobrir que o rapaz estava no MasterChef, ela tomou a iniciativa de telefonar para acenar com a reconciliação. A conversa com a mãe dele aconteceu pouco antes do início da gravação do episódio de sua eliminação.

O programa, rodado com muita antecedência, nem havia estreado. Em um post no Instagram, o professor de gastronomia comentou a respeito do preço cobrado pela experiência diante das câmeras: “Eu deixei minha família, meus empregos, minha estabilidade.

Dei minha cara a tapa, pus meu nome em jogo, abri os braços para um mundo sem porteira”. Na mesma mensagem, o chef trans, de 25 anos, relatou o lado negativo da superexposição na TV. “Vieram socos, xingamentos, desejos ruins”, escreveu, referindo-se aos haters que o atacaram por conta de sua condição de gênero.

No depoimento final, o chef disse que sua “missão de vida é salvar uma vida”. Ele deseja servir de inspiração a outros transexuais e ajudar na luta contra a transfobia, especialmente no mercado de trabalho. “A partir do momento que me veem cozinhando, vão perceber como vale a pena investir em pessoas como eu.” Thales deixou uma marca no MasterChef Brasil.

Dono de autoconfiança elevada, foi visto como arrogante por alguns colegas e parte do público. Em várias ocasiões, não titubeou em contestar a análise negativa dos jurados em relação a seus pratos. Numa postagem em rede social, no início da temporada, explicou o seu jeito de ser: “Quantos chefs trans você conhece? Pois é. A minha identidade de gênero faz parte de quem eu sou, não existe Thales sem ele sentir orgulho de quem é. Você já sentiu orgulho de quem está sendo hoje?”

FONTE: PORTAL TERRA

Késia Paos
o autorKésia Paos
Coordenadora de Jornalismo Local
Jornalista da rádio Ativa FM

Deixe uma resposta

WhatsApp #ZAPATIVA